Rate this post

Atualizado 02/03/2018 12:36:22 CET

LISBOA, 2 Mar. (EDIZIONES) –

O assoalho pélvico é uma estrutura miofascial (muscular e ligamentosa) que fecha a cavidade inferior do abdômen e fornece o sutiã adequado para três sistemas: urinário (bexiga e uretra), o leitor e o digestivo (reto).

Segundo explica a Infosalus a responsável pela Unidade de Assoalho Pélvico do Hospital Universitário Quirónsalud de Madrid, a doutora Gema Garcia Galvez, o assoalho pélvico é algo mais do que um grupo muscular e de tecido do sutiã que fecha a cavidade inferior do abdômen. “Estamos falando de funções vitais tão importantes como a continência da urina e das fezes, da sexualidade, ou a reprodução, por exemplo”, adverte.

Este artigo estabelece que, na mulher, “sem dúvida” a maternidade (gravidez e parto), o excesso de peso, prisão de ventre, tosse crônica, o esporte de impacto, e a predisposição familiar somam como fatores de risco que mais causam perda de tônus muscular da região.

Além disso, sustenta que, de cara para a terceira idade, é fundamental cuidar da tonificação do assoalho pélvico, Para isso, preciso que você tem que se fortalecer e reabilitar a área de forma diária, mas, sobretudo, nas duas fases da vida de uma mulher que mais debilitam a área: após a maternidade (gravidez e pós-parto), e na perimenopausa, o período de transição para a menopausa, cuja duração pode variar entre os 2 e os 5 anos (se apresenta entre os 47 e 48 anos de média, segundo a Associação Espanhola para o Estudo da Menopausa).

A incontinência e o prolapso de órgãos pélvicos, resultado muitas vezes de um assoalho pélvico enfraquecido, se deteriorar seriamente a qualidade de vida, auto-estima e as relações interpessoais”, adverte a especialista, por isso recomenda a prática diária e freqüente dos exercícios de Labirinto, uma simples série de contrações da área, bem como cuidar do peso e prisão de ventre entre outros fatores.

“Estou recebendo pacientes que consultam após anos de sofrer em silêncio, ou sem saber a quem recorrer, vendo seu desconforto, sua angústia. Insisto na importância da informação sobre a alta prevalência desta patologia e de seu possível tratamento no quadro da consulta adequada”, ressalta a doutora Galvez.

RAZÕES POR QUE CUIDAR DO ASSOALHO PÉLVICO

Por tudo isso, a especialista do Quirónsalud Madrid destaca-se que todas as mulheres devem ser conscientes de sua existência do que é jovem, por razões como as seguintes:

1. Hoje, 1 em cada 3 mulheres com mais de 35 anos apresentam incontinência urinária por enfraquecimento da área.

2. A incontinência urinária é considerada um problema de saúde pública, de alto impacto na qualidade de vida.

3. Até 9-10% das mulheres sofre de dupla incontinência: urinária e anal.

4. A qualidade das relações sexuais está muito relacionada com um assoalho pélvico tonificado. “A resposta sexual e o orgasmo participa da musculatura que envolve e sustenta a vulva, a vagina e o útero. A satisfação e a qualidade das relações depende de muitos fatores, mas, sem dúvida, uma boa tonificação muscular soma”, salienta.

5. A gravidez e o parto são um trauma considerável enfraquecimento dessa musculatura. “Nenhuma mãe deveria deixar de fazer reabilitação no pós-parto a musculatura do assoalho pélvico controlada, direcionada e individualizada, de acordo com o tipo de parto sofrido, por fisioterapeutas especializados”, acrescenta.

6. As habituais práticas esportivas de corrida e de salto são um dano mantido por hiperpresión abdominal repetitiva geram um enfraquecimento progressivo. “Nem mencionar alguns esportes extravagantes como o ‘power jump’ ou os abdominais clássicos”, avisa Galvez.

7. Os maus hábitos alimentares que causam excesso de peso e prisão de ventre constituem fatores de risco acrescido. “O licito afirmar e mantido cada vez que vamos ao banheiro por falta de hidratação, de exercício, de frutas e de legumes em nossa dieta prejudica e enfraquece o plano de sustentação muscular”, salienta.

8. Hábitos nocivos, como o consumo de tabaco, e a consequente tosse crônica, são um fator de risco relacionado diretamente com o enfraquecimento da musculatura do assoalho da pelve.

9. Através do orifício vaginal, com um assoalho pélvico enfraquecido, o parto ou a menopausa podem desencadear uma herniación medicamento chamado ‘prolapso de órgãos pélvicos’.

10. “A dor lombar, muitas vezes, está diretamente relacionado porque o assoalho pélvico estabiliza a pelve óssea e a coluna lumbosacra, sendo muito importante a reeducação de hábitos posturais e a tonificação muscular para evitar dores do quadril e das costas”, observa a responsável do Assoalho Pélvico.

10 razões por que cuidar de seu assoalho pélvico

Deixe uma resposta